A Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) promove ações de formação a 100 enfermeiros para integrarem o primeiro programa em Portugal, e dos primeiros no mundo, de prevenção da diabetes tipo 2. “Gosto!” inicia esta semana em várias unidades de saúde do País e na Escola da Diabetes da APDP.

Evitar a diabetes antes do seu aparecimento é a missão do Programa Gosto!, um programa de alteração de estilos de vida. “O objetivo da formação promovida pela APDP consiste em capacitar enfermeiros dos cuidados de saúde primários para orientarem sessões de educação em grupo dirigidas a pessoas identificadas com risco acrescido de diabetes tipo 2, através da modificação dos hábitos alimentares e da prática de atividade física”, explica a Enf. Lurdes Serrabulho, coordenadora pedagógica do programa.

A investigação clínica tem evidenciado que, quando se realizam pequenas mudanças nos estilos de vida, há uma redução de mais de 50% no risco de desenvolver diabetes. Estas mudanças, se forem mantidas, podem ter efeitos significativos positivos a longo prazo e na saúde em geral.

As ações de formação iniciaram esta semana em diferentes unidades de saúde e na Escola da Diabetes da APDP. Almeirim, Alpiarça, Alvito, Azambuja, Arruda dos Vinhos, Benavente, Braga, Carregal do Sal, Cartaxo, Chamusca, Coimbra, Coruche, Grândola, Golegã, Montemor-o-Velho, Oliveira de Azeméis, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Santarém Sátão e Viseu, são os Municípios que integram a primeira fase de formação.

O Programa Gosto! insere-se no âmbito do Não à Diabetes! Desafio Gulbenkian, um projeto de prevenção da diabetes tipo 2 promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian e cuja responsabilidade de implementação é da APDP. Este projeto, um dos maiores de sempre na luta contra a diabetes, tem como objetivo diminuir a prevalência nacional da diabetes nos próximos 5 anos. Para tal, pretende, por um lado, evitar que 50 mil pessoas de risco desenvolvam diabetes tipo 2 e, por outro, diagnosticar 50 mil pessoas que têm diabetes e não o sabem.

“A diabetes é a primeira doença crónica a desafiar a sociedade com a necessidade de programas de prevenção primária, fundamentais para reduzir uma das maiores pandemias da humanidade”, sublinha João Filipe Raposo, diretor clínico da APDP.